Liderar ou Executar. Saiba como equilibrar esses papéis tão importantes

Se você é líder, sabe na prática que gerenciar pessoas não é uma tarefa simples. Mas se você colabora com líderes e empresas, está na hora de pensarmos em algumas soluções.

Liderar envolve um número muito grande de atividades, que começa em alinhar objetivos da área, criar metas pra atingir esses objetivos, acompanhar a evolução dos resultados, fazer coaching oferecendo feedbacks frequentes.


Se já não bastasse, o líder precisa fazer interface com áreas parceiras, dar suporte a equipe, corrigir desvios e estimular a motivação, recompensando os trabalhos bem feitos. Além é claro, das tarefas administrativas que vêm de “brinde” ao assumir uma posição gerencial.

Uma realidade muito comum que tenho percebido em minha trajetória ministrando treinamentos para líderes de todos os segmentos, é que na prática diária, o líder também é um executor.

Essa condição, que é a realidade da maior parte das empresas, tem um impacto brutal na gestão de pessoas. Não que seja impossível gerenciar e executar simultaneamente, mas se partirmos do princípio que o tempo é um recurso limitado, estas duas atividades juntas devem naturalmente perder qualidade e resultado.

Se acrescentarmos ao cenário, que muitos líderes eram bons técnicos e ascenderam à funções de liderança sem a devida preparação, teremos na liderança melhores executores do que planejadores. Gente que sabe muito bem como fazer, mas pode patinar em “fazer fazer”.

Minha percepção sobre o problema e uma possível solução
Acredito que a busca da produtividade e da eficiência seja a causa principal desse tipo de cenário e, concordo que ela deve ser foco em qualquer tipo de organização, pois só com eficiência podemos garantir sustentabilidade no longo prazo.

Mas o que tenho visto são líderes entregando resultados de qualquer jeito e a qualquer custo, gestores pressionados, pressionando a equipe por resultados no curto-prazo e, por fim, as atividades estratégicas de gestão sendo abandonadas e com pouca prioridade.

lider-atividades

Essa relação é muito prejudicial para qualquer equipe e também para o líder.

Um padrão 80/20 focado no operacional, faz um líder perder o sentido do seu papel, atuar de forma mais operacional e pouco estratégica. E a equipe, que fica sem alinhamento, com metas mal definidas, pouco ou nenhum acompanhamento (quem dirá coaching), perde em desenvolvimento de competências e motivação, porque no pouco tempo que sobra, o líder vai apenas corrigir os desvios, cobrar e pedir mais. Afinal, como vamos comemorar os avanços se não temos tempo?

Parte da solução
Frente à toda essa confusa e dura realidade, as empresas precisam medir de forma mais técnica seu headcount (quantidade de colaboradores), para garantir um número de pessoas adequado à quantidade de atividades e de resultados desejados. Desafogando o líder das atividades operacionais para focar mais em liderar do que executar.

Além disso, treinamentos voltados para práticas de gestão que podem ser aplicadas no dia-a-dia devem merecer investimento, se tiverem técnicas objetivas como dar feedback, criar metas SMART, mapear e desenvolver a equipe e team buildings que integram e ajudam a produzir melhores resultados em conjunto.

Para finalizar, fornecer ferramentas que auxiliem o líder a ganhar tempo na gestão, analisar os resultados e tomar decisões rápidas mesmo à distância, são fundamentais e podem estimulá-los à exercerem seu papel.

Dentre as diversas opções, o Smartleader – Ferramenta para Gestão de Desempenho, é um sistema web simples e prático, que ajuda a definir objetivos e metas, apurar resultados, avaliar competências e reconhecer o bom trabalho, com um ranking de performance com dados objetivos e prontos para a tomada de decisão. Para conhecer o Smartleader basta clica aqui.

O que você você achou do artigo e qual a sua opinião sobre esse tema?
Digite seus comentários no campo abaixo.


Thiago Gomes

Psicólogo e Especialista em Desenvolvimento
www.insightgestao.com.br
Treinamentos para líderes e consultoria organizacional

Uma resposta para “Liderar ou Executar. Saiba como equilibrar esses papéis tão importantes”

  1. Artigo fantástico, retrata a realidade que acontece nas empresas. Esse é um tema muito falado hoje em dia, mas, acima de tudo é preciso a compreensão de todos, principalmente dos líderes que as pessoas são primordiais em qualquer empresa. Gerir processos não é uma tarefa fácil, porém, gerir pessoas é o maior desafio que existe e merece uma atenção redobrada. Os resultados gerados através do desenvolvimento das mesmas impactará diretamente nos processos. O foco dos gestores tem que mudar para que as metas sejam alcançadas de acordo com o planejado. Esse tema é simplesmente maravilhoso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *